Do Aleixo à Pasteleira

Para não estarmos sempre de volta das grandes histórias e dos  grandes espaços, um exemplo local: a transferência do tráfico do bairro do Aleixo para outras zonas do Porto. Nesta peça podem constatar o início do processo e nesta podem  confirmar a evolução do mesmo.

O mercado de droga, pela sua natureza ilícita,  é altamente adaptável.Não existem contratos, rendas legais, impostos,  trespasses ou marcas registadas. Existem, claro, pagamentos e comissões consoante  as conquistas  dos pontos de venda, mas é tudo fluído e undercover. Os consumidores não seleccionam os fornecedores em função de uns repuxos no átrio ou de cartões  de pontos e são indiferentes à decoração ou às facilidades de estacionamento ( aqui é no parking, just business).

Quando um autarca decide demolir um bairro que é um ninho de tráfico de droga, a única certeza que devia ter é que esse tráfico vai espalhar-se, como metástases, pelos outros bairros da cidade.

 

publicado por FNV às 21:55 | link do post | comentar | ver comentários (1)